Movimento Plástico Transforma

Arte em plástico: a busca pelo equilíbrio mental, literalmente, na palma da mão

O plástico como material de artesanato pode ajudar, e muito, na saúde mental das pessoas em isolamento social e cada vez com mais sintomas de ansiedade e depressão, devido à pandemia de COVID-19

A pandemia do novo coronavírus trouxe uma série de consequências na vida da população mundial. Pessoas que já possuíam uma pré-disposição para depressão ou distúrbios de ansiedade se viram reféns de um vírus devastador, que além de assolar a população por seu perigo, colocou o mundo todo em isolamento social.

Embora existam diferentes formas de lidar com essas sensações, muitas vezes esquecemos que a solução pode estar, literalmente, em nossas mãos. Por isso, a arte pode ser uma excelente alternativa no processo de manutenção da saúde mental.

A terapia artesanal é uma atividade estimuladora que possui influência positiva na vida do ser humano. Ela é capaz de auxiliar nos processos de criatividade, controle emocional e mental, concentração, coordenação motora, raciocínio, autoestima e realização pessoal.

Outro benefício, que serve como recurso terapêutico, está relacionado à melhora na convivência social e autoconhecimento, pois a arte proporciona um momento de conexão consigo mesmo. Muitas vezes, encontros realizados em grupo, mesmo que online, permitem a conexão e a troca de experiências entre os indivíduos, trazendo sensação de bem estar de maneira concreta.

Para a Psicóloga clínica, especialista em História da Arte e pós-graduanda em Psicologia Analítica, Camila D'Orazio, é inegável que a arte é um agente transformador na saúde mental das pessoas. Segundo Camila, “muitas vezes as atividades que envolvem a arte são formas de expressão de conteúdos inconscientes que não necessariamente conseguimos colocar em palavras, mas que, através da arte, é possível materializar e trabalhar essas questões que são difíceis de lidar”. Camila ainda acredita que a arte ajuda a organizar o mundo interno do indivíduo, trazendo-o para o momento presente, tentando tirar o foco dos pensamentos acelerados.

 

Além de ser um excelente passa tempo, você pode envolver as crianças

nos trabalhos manuais, para deixar tudo ainda mais divertido.

A ARTE COMO TREINAMENTO PARA O CÉREBRO

Diversos estudos mostram que tarefas manuais ajudam a combater diversas doenças, inclusive as degenerativas leves. Exercitar o cérebro auxilia na preservação da memória, uma das áreas mais afetadas com o passar dos anos. As atividades manuais ativam várias partes do cérebro, sobretudo porque há terminações nervosas localizadas na ponta dos dedos.

As atividades que estimulam o desenvolvimento cognitivo são as mais indicadas para preservar o cérebro. Recentemente a Universidade de São Paulo (USP) realizou uma pesquisa e concluiu que os idosos que realizam tarefas manuais são os menos propensos a desenvolverem demência. Entre as atividades, foram listados: prática de instrumentos musicais, realizar corte e costura, pintura e artesanato.

A revista alemã Neurology também encomendou uma pesquisa sobre o tema. O objetivo era entender a possibilidade de a atividade artística reduzir o risco de comprometimento cognitivo leve, à medida que se dá o processo de envelhecimento. Os resultados apontaram que as pessoas envolvidas com o exercício de atividades artísticas em geral (pintura, escultura, fotografia, etc.), na faixa da meia e terceira idade, eram 73% menos propensos a desenvolver transtorno cognitivo leve do que aqueles que não o fizeram.

A revista alemã Neurology também encomendou uma pesquisa sobre o tema. O objetivo era entender a possibilidade de a atividade artística reduzir o risco de comprometimento cognitivo leve, à medida que se dá o processo de envelhecimento. Os resultados apontaram que as pessoas envolvidas com o exercício de atividades artísticas em geral (pintura, escultura, fotografia, etc.), na faixa da meia e terceira idade, eram 73% menos propensos a desenvolver transtorno cognitivo leve do que aqueles que não o fizeram.

O PLÁSTICO COMO MATERIAL DE ARTESANATO

Os materiais plásticos são ótimos para criar uma infinidade de objetos úteis e utilizar o plástico como matéria-prima para fazer artesanato é uma boa oportunidade de reaproveitamento de objetos. Além da excelente alternativa para quem busca saúde mental, esse hobby pode até produzir renda extra, tornando isso sua atividade principal.

O artesanato sustentável costuma ser ainda mais vantajoso porque não exige a compra de materiais caros. Grande parte dos itens usados são garrafas PET, caixas e potes de alimentos, tampas plásticas, etc. Assim, pode-se criar vários objetos interessantes, como vasos para plantas, organizadores de armários e mes

as, cortinas feitas com plástico, entre muitas outras peças.

 

DIY: VOCÊ SABE O QUE É E QUAL É O CONCEITO?

DIY é a sigla da expressão em inglês Do It Yourself, que significa “Faça Você Mesmo”, na tradução para a língua portuguesa. E DIY e plástico combinam muito, pois além de ser uma atividade que estimula a criatividade e muito divertida, utilizar o plástico como principal matéria prima contribui para o reuso do material.

São diversas opções super úteis, mais econômicas, que não exigem grandes investimentos e com conceitos autoexplicativos que você mesmo pode fazer. Então, mãos à obra:

LUMINÁRIAS DE TETO

Super em alta, você também pode inovar na sua luminária pendente. Caso tenha luminárias de teto em casa, você pode recobrir as lâmpadas com a metade de uma garrafa PET, decorar a parte externa com fio preto e pronto: nasce uma luminária maravilhosa e bem diferente.

Materiais:

  • Algumas garrafas PET cortadas
  • Fios preto para acabamento

 

Imagem2

PUFF PARA SUA SALA

Para fazer este lindo puff, você precisa de:

  • Aproximadamente 40 garrafas PET do mesmo tamanho.
  • Papelão para fazer a estrutura
  • Espuma
  • Tecido da sua preferência
  • Linha e agulha para costurar

 

Junte-as em formato de círculo, envolvendo-as em uma estrutura de papelão e depois recubra com espuma. Feita a estrutura, basta envolver e costurar com o tecido de sua preferência:

Imagem3

HORTA VERTICAL

Outra opção muito útil para quem mora em espaço pequeno, é o reuso de garrafas PET para a criação de uma horta vertical, que pode ser feita de várias maneiras: utilizando metade da garrafa ou ela inteira. Você precisa apenas de uma estrutura de metal ou bancada para fixar/pendurar seus novos vasos:

Imagem4

Imagem5

E aí, qual dessas dicas você vai colocar em prática? São exemplos simples que mostram que não precisamos gastar muito para possuir itens bonitos e funcionais em casa.

Se você tem objetos que estava pensando em descartar, solte a imaginação e transforme-os em peças úteis. Contribua com a natureza, inspire-se, crie, reuse e recicle!

 

Acesse o Movimento Plástico Transforma nas redes sociais:

 

                                            

PNRS: REPENSE, REDUZA, REUTILIZE, RECICLE

Você sabe por que o material plástico precisa ser reciclado e valorizado?

A VIDA ANTES E DEPOIS DO PLÁSTICO: COMUNICAÇÃO

As inovações em tecnologia seriam possíveis sem os plásticos?

A VIDA ANTES E DEPOIS DO PLÁSTICO: SAÚDE

Seria possível a medicina se desenvolver tanto sem as soluções dos materiais plásticos?