Movimento Plástico Transforma

Isopor®, espuma de plástico que pode ser reciclada

Plástico e Doação de Sangue

 

Isopor® é uma marca registrada que virou substantivo comum e passou a ser utilizada para designar o EPS – poliestireno expandido. O EPS é muito conhecido pela sua utilização em caixas térmicas, no entanto, é de grande versatilidade e pode ser aplicado nos mais diversos segmentos.

Trata-se de um termoplástico obtido a partir de uma reação química, a polimerização, na qual as moléculas são agrupadas em cadeias, formando um polímero.

O polímero é fornecido na forma de pequenas esferas que contêm em seu interior um agente de expansão, especificamente um hidrocarboneto chamado pentano. A expansão é obtida através da aplicação de calor, normalmente na forma de vapor de água. Após a expansão, o material transforma-se em espuma rígida no formato da peça final.

Processo de transformação

As fábricas recebem o material como o poliestireno expansivo e usam uma máquina de expansão que faz o produto – exposto a vapor e temperatura – expandir, permitindo que o ar entre e o gás saia.

A partir desse processo, é possível ver as pérolas de EPS separadamente, com muito ar no interior de cada uma delas. Normalmente são as empresas que determinam o tamanho de cada uma dessas pérolas de acordo com seus produtos e processos. Nesta fase em que as pérolas de EPS permanecem soltas, elas são utilizadas para preencher produtos como bonecas, pufes e travesseiros, entre outros. Para criar outras funções, é necessário moldar as pérolas de EPS para que se tornem uma peça sólida.

É possível fazer produtos em EPS sob medida seguindo as especificações que as empresas contratantes enviam, respondendo às normas de segurança e estudo de engenharia de cada produto. São essas informações que possibilitam às empresas saber qual será a matéria-prima mais resistente às temperaturas e às condições técnicas. A densidade é responsável por explicar o tamanho, o peso, a espessura e também pode variar de acordo com cada necessidade.

Plástico e Doação de Sangue

Pérolas de EPS pré-expandidas

Plástico e Doação de Sangue

Produtos em EPS

Aplicações

Por ser um plástico versátil, tem inúmeras aplicações. Entre as que a Termotécnica realiza, destacam-se a produção de embalagens e componentes técnicos; conservadoras para o agronegócio utilizadas no processo pós-colheita para a conservação, transporte e exposição de frutas, legumes e verduras; soluções diversas para a cadeia de frio; para a movimentação de cargas e na construção civil.

Plástico e Doação de Sangue

 

Com matriz em Joinville, SC, a empresa atua há 57 anos e possui unidades produtivas e de reciclagem em Manaus (AM), Petrolina (PE), Rio Claro (SP) e São José dos Pinhais (PR). As fábricas visam à proximidade aos principais centros produtivos e consumidores. Dessa forma, a logística dos clientes torna-se ainda mais otimizada e eficiente.

A Indústria Santa Luzia , com mais de 75 anos de história e sede em Braço do Norte, SC, atende em âmbito nacional e tem capacidade de transformar grandes quantidades de Isopor® em várias linhas de produtos, como rodapés, rodatetos, guarnições, rodameios, revestimentos e decks, além de espelhos, molduras e porta-retratos. Os produtos feitos a partir de material reciclado têm atributos e são cada vez mais valorizados pelo mercado.

Plástico e Doação de Sangue

Rodapés em EPS

Vantagens

O Isopor® é perfeito para o isolamento térmico, pois assegura a temperatura nas condições ideais. É excelente como acondicionador, porque protege contra impactos e vibrações. É um material resistente à compressão e à umidade, o que dificulta o desenvolvimento bacteriano. Também proporciona redução do custo de frete aéreo e menor emissão de CO2, sendo 100% reciclável de forma contínua.

Segundo o último levantamento do setor, feito pela Plastivida em 2012, o Brasil reaproveitou 35% do EPS produzido, ou seja, 14 toneladas das 40 consumidas. Para que a reciclagem do EPS continue crescendo, a adesão da população, das cooperativas e das empresas geradoras é fundamental.

Reciclagem

É importante ressaltar que o EPS é um plástico 100% reciclável, que tem em sua composição 98% de ar e muita tecnologia.

Em 2007, a Termotécnica iniciou o Programa Reciclar EPS, que já permitiu a destinação adequada de mais de 40 mil toneladas de EPS. O número equivale a 1/3 de todo o EPS reciclado no Brasil nesse período.

O programa gera cerca de 100 empregos diretos, conta com mais de 1.200 pontos de coleta e 300 cooperativas de reciclagem parceiras, o que impacta diretamente mais de 5 mil famílias.

Após reciclado, o EPS volta para o mercado e é utilizado para a fabricação de itens como régua escolar, solas de sapatos, rodapés, molduras, entre outros.

Plástico e Doação de Sangue

 

Ao longo de 16 anos, para a Santa Luzia foi um grande desafio estabelecer uma cadeia de fornecedores que, além disso, fornecesse uma matéria-prima com qualidade aceitável para colocar no processo. Muitas vezes as cooperativas não possuem espaço físico para alocar resíduos de EPS. Outro problema também é a localização dessas cooperativas, que, muitas vezes, estão longe de onde o resíduo se encontra e esse, por ser leve e de grande volume, tem a logística e a operação inviabilizadas.

Infelizmente, ainda não é possível atingir todas as cooperativas de catadores, devido à grande quantidade. Mas uma boa parte, sim. Hoje, são 136 cooperativas que fornecem resíduos de EPS e indiretamente contribuem com mais de 2.500 empregos.

Os produtos tanto da Santa Luzia como da Termotécnica poderiam ser fabricados em poliestireno virgem, porém, o modelo de negócios das empresas está baseado na economia circular, em que os materiais e os produtos circulam em uma cadeia fechada e são mantidos no mais alto nível de utilidade e valor o tempo todo. Por isso, priorizam a utilização de materiais recicláveis e reciclados e implantam o Programa de Logística Reversa, no qual recebem aparas de instalação e rejeitos dos próprios produtos de poliestireno expandido, que são reutilizados no processo.

Onde descartar os resíduos pós-consumo de EPS

O consumo do EPS é prejudicado pela falta de informação sobre o descarte correto. Muitos também não sabem para onde enviar as embalagens pós-consumo. E outro fator importante a ser ressaltado no caso do EPS é a logística, que tem como característica o alto volume e o baixo peso.

Atenta a essa realidade, a Termotécnica disponibiliza um site chamado Reciclar EPS , que localiza em todo o território nacional o ponto mais próximo de recebimento de EPS para reciclagem.

A Santa Luzia também promove o processo de divulgação, para que a população se conscientize que a disposição final em aterros é a última alternativa. Por isso, conta com um portal informativo de forma dinâmica no site da empresa e no blog .

Com a expansão da reciclagem do EPS, todos os públicos podem se engajar e reconhecer que há uma cadeia de logística reversa e de reciclagem desenvolvida, com pontos de coleta e reciclagem do material espalhados por diversos estados brasileiros.

Mais informações:

Termotécnica:

Santa Luzia:

ECONOMIA CIRCULAR E O PLÁSTICO

Vamos falar de um jeito novo de produzir e consumir?

EMBALAGENS DE PLÁSTICO FACILITAM A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Os plásticos desempenham papel importante em todos os lares e proporcionam muitos benefícios.

A RECICLAGEM E O MEIO-AMBIENTE

Reciclar traz inúmeros benefícios: economia de energia, menor emissão de gases na atmosfera