Movimento Plástico Transforma

PAIXÃO NACIONAL E SUSTENTABILIDADE DÃO JOGO

 

 

             Programa Futebol Sustentável, iniciativa com foco na valorização do meio ambiente por meio de ações que envolvem reciclagem, mostra que a sustentabilidade acontece também em campo.

No dia 19 de julho, os apaixonados pelo esporte mais popular do mundo comemoram um dia bem especial: o dia Nacional do Futebol. Criado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a data foi escolhida em 1976, por coincidir com a fundação do time mais antigo do Brasil em atividade, o Sport Club Rio Grande, do Rio Grande do Sul.

Desde então, a Federação Paulista de Futebol (FPF) vem trabalhando no projeto Futebol Sustentável, iniciativa que contempla diversas ações que colocam o plástico como grande protagonista do programa, com o objetivo de estimular a conscientização sobre a importância da preservação do meio ambiente e incentivar o público a acompanhar mais de perto os clubes locais.

Troque garrafas PET por ingressos

Em uma das ações com foco em reciclagem, a FPF (Federação Paulista de Futebol) negocia com os torcedores a troca de duas garrafas PET por um ingresso para jogos do campeonato paulista. Além de proporcionar ao público uma atividade de lazer, o programa retira do meio ambiente o plástico que pode ser reciclado ou reutilizado.

 

Os jogos que fazem parte do programa, incluem partidas válidas pelo Paulistão da Série A1, A2, A3, Copa Paulista e Segunda Divisão, além do Brasileirão da Série A, B, C e D. A iniciativa já superou a marca de um milhão de torcedores nos estádios de São Paulo, com mais de três milhões de garrafas arrecadadas.

Na final da série C do Brasileirão, em 2016, o estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, ficou lotado de torcedores que trocaram garrafas por ingressos. Créditos da imagem: Mario Pompeu/Pompeu Produções - site FPF .

Devido a pandemia de COVID-19, a iniciativa encontra-se temporariamente pausada, pois ainda não é permitido pelas autoridades competentes a presença do público nos estádios.

Da garrafa à bola ecológica no Campeonato Paulista

O campeonato paulista de 2019 teve uma novidade pra lá de inusitada e inovadora: a utilização de uma bola de futebol ecológica. Pela primeira vez no futebol profissional mundial, a bola oficial da competição foi desenvolvida com tecido ecológico, a partir de fios de poliéster reciclados de garrafas PET.

Desafiada pela Federação Internacional de Futebol (FIFA), a fabricante Penalty, marca especializada em artigos para a prática esportiva, marcou um golaço logo de cara: em menos de seis meses desenvolveu a bola eco, batizada como S11 Ecoknit.

Primeira Ecoknit lançada pela Penalty

Créditos da imagem: Reprodução Penalty

 

Como a Penalty conseguiu essa façanha? Apesar da rápida produção, foram realizados diversos testes para encontrar uma matéria-prima que fosse ecológica e suficientemente flexível e elástica.

De modo geral o processo funciona da seguinte forma:

1. Coleta de garrafas PET pelas cooperativas de reciclagem;

2. Essas cooperativas vendem o resíduo para empresas de fiação têxtil;

3. Durante o processo, as garrafas passam por higienização e trituração, e na sequência seguem para o processo de polimerização;

4. A partir daí é produzido o chip de poliéster, que dá origem ao POY, um tipo de filamento usado em tecelagens e malharias;

5. Após essa etapa, origina-se o fio de poliéster e é a partir dele que a Penalty desenvolveu, com exclusividade, o tecido ecológico para a confecção da bola eco.

Com cores vibrantes e design ousado, a arte estampada na bola passa por tons de roxo e laranja no fundo branco, que proporciona maior destaque em campo e nas câmeras.

Edição da Ecoknit de 2021

Créditos da imagem: Reprodução Penalty

 

Para a edição do Paulistão de 2021, a bola recebeu camadas extras de proteção: UV, para não amarelar com o sol, e impermeabilização do tecido, para que a S11 Ecoknit se mantenha limpa durante todo o jogo. A versão deste ano ainda conta com o símbolo da reciclagem que vem estilizado na cor vermelha, uma alusão ao plástico no sistema de coleta seletiva.

A cada unidade produzida, a Penalty retira 4 ½ garrafas PET do meio ambiente. Desde o lançamento, no Paulistão 2019, a fabricante estima já ter reciclado mais de cinco toneladas de garrafas PET.

 

 

Acesse o Movimento Plástico Transforma nas redes sociais: